mobirise.com

Biópsias

Em certos casos torna-se necessário obter material para análise por via de uma agulha fina, que é introduzida no órgão a estudar. Como as lesões não são palpáveis, para dirigir a agulha é necessário um método de imagem, neste caso a ecografia.

É usada com maior frequência no estudo mamário, no estudo da tiróide e no da próstata, mas também, em órgãos abdominais, como por exemplo, o fígado e rins. É um procedimento geralmente muito pouco doloroso e, em certos casos, precedido de uma injeção de anestésico local.

Feita a colheita do material, o radiologista preserva-o com segurança e envia-o para um laboratório especializado em anatomopatologia.

No vídeo uma biópsia de próstata endorretal sob controle ecográfico e anestesia endovenosa.

Sérgio Augusto Pitaki